Notícias

Araruama comemora Janeiro Roxo com diversas atividades de combate a Hanseníase na Praça Antônio Raposo

Na última sexta-feira, dia 27, a Secretaria Municipal de Saúde, através da Coordenadoria de Saúde Coletiva, realizou o treinamento de médicos e enfermeiros dos Postos de Saúde Familiar para o diagnóstico precoce da hanseníase - doença que ainda está presente no Estado do Rio de Janeiro e que causa incapacidade física nos seus portadores, quando recebem diagnóstico tardio.

Para comemorar o Dia Mundial de Combate a Hanseníase, dia 29 de janeiro, a Prefeitura de Araruama, através da Secretaria Municipal de Saúde, realizou diversas atividades na Praça Antônio Raposo. Entre elas, palestra educativa com médicos e enfermeiros, aferição de pressão arterial e glicose, panfletagem e círculo de conversa. Além da participação do grupo Morhan, uma entidade sem fins lucrativos voltada para a eliminação da Hanseníase, que trouxe uma dupla de palhaços que realizaram de forma lúdica a conscientização sobre a doença.

“É de suma importância o diagnóstico precoce da doença. A pessoa contaminada só apresenta sintomas, em média, cinco anos após o aparecimento da mancha. E após este período já pode apresentar comprometimentos físicos que poderiam ser evitados com o exame físico. Por isso, o atendimento da Atenção Básica é fundamental para erradicamos esta doença. Na suspeita da doença, é preciso procurar atendimento em uma unidade de saúde o mais rápido possível”, afirmou a Drª Nina, coordenadora da Saúde Coletiva no município.

Sobre a hanseníase

A hanseníase é uma doença infectocontagiosa que possui cura. A pessoa pode ficar de dois a dez anos com a bactéria causadora da doença incubada no corpo sem manifestar os sintomas que são: manchas na pele com diminuição da sensibilidade, caroços pelo corpo, dor e sensação de choque nos nervos dos braços, pernas, pés, mãos e diminuição da força muscular nas extremidades.

A hanseníase é transmitida por meio das vias respiratórias, tosse e espirros emitidos por uma pessoa contaminada, e por contato prolongado.

Não se contrai hanseníase por meio de copos, pratos, talheres, nem em assentos, apertos de mão, abraço, beijo, picada de inseto, aleitamento materno, doação de sangue, relação sexual ou gravidez.

O tratamento tem duração de até 12 meses e é oferecido pelo SUS. Já no início do tratamento a pessoa deixa de transmitir a doença, por isso, não deve ser separada de sua família nem interromper atividades rotineiras.

Atendimento

Além dos Postos de Saúde do município, a população pode buscar informações e atendimento sobre a hanseníase na Coordenadoria de Saúde Coletiva, localizada na Rua Pedro Luiz Souza, s/nº, Centro. Araruama – RJ.